Cartas para Maria | Rafael Stein

Vivemos em um mundo onde cada vez mais estamos distantes um dos outros. Podemos morar anos num prédio e não conhecer o vizinho, cumprimentar com um simples “bom dia” no elevador ou oferecer uma ajuda para aquele que acabou de mudar.

Passamos na rua por velhos colegas de escola e fingimos que não vemos. Estamos alheios a tudo, focados em nosso pequeno mundo.

Maria, com apenas uma palavra, podemos destruir ou firmar sonhos. Às vezes, tudo que alguém precisa é uma palavra gentil, um motivo para acreditar que nem tudo está perdido. São cumprimentos simples, que podem ser carregados de tudo aquilo que desejamos para o próximo e isso faz toda diferença.

Tenha um bom dia.

Com amor,
Papai.

Compartilhe