Era uma quarta-feira e enquanto as crianças brincavam na sala eu trabalhava no escritório.

O Francisco entra no escritório e fica andando de um lado para o outro procurando algo:

Francisco: “Papai, eu quero essa canetinha (preta).”

Eu: “Pode pegar. O que você vai fazer?”

Francisco: “Vou pintar.”

… 15 minutos se passaram … Com as mãos e barriga pintadas o  Francisco vem até o escritório e faz o movimento com as mãos imitando garras

Francisco: “Eu sou o Pantera Negra”

Eu: “O que você fez filho?”

Francisco: “Não tem problema papai. Eu sou o Pantera Negra.”

Eu: “Já para o banho que vou colocar você de molho na banheira.”

Fim.

Compartilhe

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, coautor do livro "Luto por perdas não legitimadas na atualidade", voluntário na Casa Paliativa, membro do projeto Luto do Homem.

Categorias

Mec

Posts Relacionados

One Comment

  1. Pollyana Pereira junho 2, 2019 at 4:58 pm

    Parabéns Rafael!! Muito triste, mas lindo o que vem fazendo por teus filhos. Lerei todas as cartas. Se tiver mais textos, pode mandar para meu e-mail. Abraço. ❤

Comments are closed.