Maria,

hoje faz 1 mês que a mamãe virou estrelinha. A sensação que eu tenho é que a mamãe vai aparecer a qualquer hora. Eu me pego falando com ela pedindo a opinião, pedindo ajuda e logo em seguida me lembro de que ela não vai voltar, que agora será assim e teremos que nos acostumar e nos adaptar com a ausência.

Você vai sentir falta, vai sentir necessidade de chorar e não há problema nenhum … eu ainda choro todo dia de manhã, antes de vocês acordarem, enquanto preparo o café ou tomo banho. É quando me deparo com a realidade, com a falta dela.

Em seguida lembro das coisas que temos que fazer durante aquele dia, você e Francisco acordam, me abraçam e me dou conta que não estamos sozinhos, que cada um de nós tem um pouquinho dela e que ela continuará sendo o que sempre foi para nós. Continuaremos a rir daquilo que nos fazia rir juntos.

Afinal, porque a mamãe estaria fora de nossos pensamentos, agora que está apenas fora de nossa visão?

A mamãe não está longe, apenas está do outro lado do Caminho…

E nós que ficamos, seguiremos em frente, pois a vida continua, linda como sempre foi.

Faz 1 mês e ainda temos o resto da vida pela frente.

Compartilhe

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, coautor do livro "Luto por perdas não legitimadas na atualidade", voluntário na Casa Paliativa, membro do projeto Luto do Homem.

Categorias

Mec

Posts Relacionados

9 Comments

  1. Adriana Siqueira Mazzotini Rimoli outubro 24, 2018 at 9:55 am

    Queridos Rafa, Maria e Francisco, essa resignificação dói, arranha e esburaca, como uma calçada que você conserta e a qualquer momento esburaca novamente. Tem dias mais difíceis que outros, tem dias que andamos pra frente, já outros, damos dez passos pra trás e duas voltas em volta da árvore, parece que não conseguiremos, mas aos poucos, tudo vai se tranquilizando é aquele vazio angustiante se prenchendo com as melhores lembranças e momentos compartilhados. Todo o nosso carinho e orações pra vocês,
    Dri, Hélio, Nana e Rafa

  2. Julia outubro 24, 2018 at 1:14 pm

    Tenho certeza que a Micaela está ao lado de vocês e por isso você entende que devem seguir! Realmente, tem toda a vida pela frente e não podem deixar de fazer o que a Micaela ensinou, viver um dia de cada vez! Sejam sempre companheiros, tudo dará certo. Deus no comando sempre! Vocês tem um ao outro, sempre dando carinho e se cuidando, se apeguem a isso.

    Fiquem com Deus!

    Julia, Danilo e Manu

  3. Blumer outubro 24, 2018 at 2:51 pm

    <3

  4. Laís outubro 24, 2018 at 4:58 pm

    Que texto! Rafa querido, sinta o meu abraço! ♡

  5. Chris outubro 25, 2018 at 9:29 pm

    A vida continua e tem muita coisa linda guardada para estas crianças ❤️

  6. Bruno Ferreira outubro 26, 2018 at 5:29 pm

    Rafa, bela carta.
    um abraço a todos

  7. Mariana outubro 28, 2018 at 1:21 pm

    Rafael, eu não te conheço mas conheço profundamente a dor que você sente. Há dois meses perdi meu marido, o amor da minha vida e sigo tentando ser forte e ser a estrutura para a Cecília, minha filha de 2 anos e meio. Ainda não consegui passar 1 dia sem chorar mas vou ocupando a minha cabeça e a minha rotina para que a dor fique um pouco menos insuportável. Definitivamente esta é uma experiência que eu jamais gostaria de ter passado mas já que Deus me deu essa missão, só me resta vestir a capa e tentar ser a melhor pessoa para criar a minha pequena. Que Deus abençoe vc é seus filhos e se precisar de apoio, tem um grupo chamado Acolhe com Amor que tem me ajudado muito.

    • Rafael Stein outubro 29, 2018 at 8:44 pm

      Mariana, obrigado por compartilhar a sua história e pela dica do grupo. Já tinha ouvido falar dele e a história da Andréia Baroni mas não conheço ela pessoalmente.

  8. Darlene novembro 13, 2018 at 12:30 am

    Oi Rafael boa noite. Me emocionei muito com suas palavras e tb sei exatamente o que esta passando. Meu marido faleceu há 1 ano e meio e agora já consigo pensar melhor em tudo. Avisei a Pollyana que estaria a disposição para o que precisasse. Tenho um filho de 7 anos e sei o que é tb tentar ajudá-los sem termos força. Faço parte tb do grupo Acolhe com amor e foi com a Andréa que conheci através do mães amigas que comecei a melhorar. Agora conheci a Mariana tb e estamos todas tentando seguir em frente. O que precisar conte comigo tb. Ou melhor com a gente. Deus abençoe vc e as crianças com muita saúde e sabedoria. Abraços

Comments are closed.