o mar ensina | Allan Dias Castro

“‘Não sou o autor’ são textos que não escrevi e vídeos que não produzi, mas que gostaria de ter sido o autor.
Deixo-os aqui registrados para que eu possa ler novamente em algum momento no futuro.”

VOZ AO VERBO 69 – o mar ensina

É preciso remar.

O mar ensina.

Paciência aos que tem pressa.

Equilíbrio para os que já caíram mas não deixaram de remar.

Para ganhar o mar é preciso perder o medo e manter o respeito.

Mas é preciso remar.

O mar ensina.

É possível encontrar liberdade em suas correntes.

Mas é preciso remar.

O mar ensina.

A maré de sorte só chega para quem um dia entendeu que os ventos sempre mudam de direção e não deixou de remar.

Porque ninguém aprende a nadar na areia.

O mar ensina.

Mas é preciso remar.

Eu só peço fôlego para vencer a arrebentação e entender que isso não significa competir com o mar.

Eu peço fôlego para receber o mar.

Basta perceber a entrada, pedir licença e ai sim, ser recebido pelo mar aberto.

Fôlego.

Eu peço fôlego para lembrar  que ondas e lagrimas são feitas de água salgada.

Fôlego para transformar tristeza em mar.

E se o caminho for longo fôlego para remar na volta

Fôlego para voltar a remar.

Ouça este poema na voz do poeta Allan Dias Castro:

SOBRE O AUTOR:

Allan Dias Castro é poeta e tem a escrita como base para todos os seus projetos, de letras de música a programas de tv. Formado em Comunicação Social pela ESPM-RS, cursou Escrita Criativa na Escola de Escritores de Barcelona, na Espanha.

Gaúcho radicado no Rio de Janeiro, Allan lançou seu primeiro livro, O Zé-Ninguém, em 2014. Suas letras já foram musicadas por grandes nomes, como Roberto Menescal, e ele já declamou seus poemas ao lado de artistas como Oswaldo Montenegro e Marcos Suzano.

Desde 2016, integra o Reverb Poesia (@reverbpoesia), banda que viaja por todo o Brasil apresentando sua mistura de música e poesia falada. Com o Voz ao Verbo, projeto de vídeos com poemas autorais que deram origem a este livro, busca facilitar o acesso do público à poesia.

“Poeta é quem toma liberdades com a língua e o Allan Dias Castro faz isso com maestria. Sua poesia, sua prosa poética, seus epigramas e aforismos – e suas letras de musica – são exercícios de extrema liberdade. E entre o lírico, o satírico e o bem bolado, ele nos leva junto em cada voo.” Apresentação de Luis Fernando Verissimo para “O Zé-Ninguém”, livro lançado em 2014.

Você pode ler mais e conhecer o Allan Dias Castro: allandiascastro.com.br

Compartilhe

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, coautor do livro "Luto por perdas não legitimadas na atualidade", voluntário na Casa Paliativa, membro do projeto Luto do Homem.

Categorias

Mec

Posts Relacionados