Cartas para Maria

o mar ensina | Allan Dias Castro

o mar ensina | Allan Dias Castro

o mar ensina | Allan Dias Castro

“‘Não sou o autor’ são textos que não escrevi e vídeos que não produzi, mas que gostaria de ter sido o autor.
Deixo-os aqui registrados para que eu possa ler novamente em algum momento no futuro.”

VOZ AO VERBO 69 – o mar ensina

É preciso remar.

O mar ensina.

Paciência aos que tem pressa.

Equilíbrio para os que já caíram mas não deixaram de remar.

Para ganhar o mar é preciso perder o medo e manter o respeito.

Mas é preciso remar.

O mar ensina.

É possível encontrar liberdade em suas correntes.

Mas é preciso remar.

O mar ensina.

A maré de sorte só chega para quem um dia entendeu que os ventos sempre mudam de direção e não deixou de remar.

Porque ninguém aprende a nadar na areia.

O mar ensina.

Mas é preciso remar.

Eu só peço fôlego para vencer a arrebentação e entender que isso não significa competir com o mar.

Eu peço fôlego para receber o mar.

Basta perceber a entrada, pedir licença e ai sim, ser recebido pelo mar aberto.

Fôlego.

Eu peço fôlego para lembrar  que ondas e lagrimas são feitas de água salgada.

Fôlego para transformar tristeza em mar.

E se o caminho for longo fôlego para remar na volta

Fôlego para voltar a remar.

Ouça este poema na voz do poeta Allan Dias Castro:

SOBRE O AUTOR:

Allan Dias Castro é poeta e tem a escrita como base para todos os seus projetos, de letras de música a programas de tv. Formado em Comunicação Social pela ESPM-RS, cursou Escrita Criativa na Escola de Escritores de Barcelona, na Espanha.

Gaúcho radicado no Rio de Janeiro, Allan lançou seu primeiro livro, O Zé-Ninguém, em 2014. Suas letras já foram musicadas por grandes nomes, como Roberto Menescal, e ele já declamou seus poemas ao lado de artistas como Oswaldo Montenegro e Marcos Suzano.

Desde 2016, integra o Reverb Poesia (@reverbpoesia), banda que viaja por todo o Brasil apresentando sua mistura de música e poesia falada. Com o Voz ao Verbo, projeto de vídeos com poemas autorais que deram origem a este livro, busca facilitar o acesso do público à poesia.

“Poeta é quem toma liberdades com a língua e o Allan Dias Castro faz isso com maestria. Sua poesia, sua prosa poética, seus epigramas e aforismos – e suas letras de musica – são exercícios de extrema liberdade. E entre o lírico, o satírico e o bem bolado, ele nos leva junto em cada voo.” Apresentação de Luis Fernando Verissimo para “O Zé-Ninguém”, livro lançado em 2014.

Você pode ler mais e conhecer o Allan Dias Castro: allandiascastro.com.br

Sair da versão mobile