Nos conhecemos no ano primeiro ano da Psicologia. Logo eu a notei, tão linda e loira. Não demorou muito para nos tornarmos amigas. Nos encaixamos na turma do fundão e formamos uma “gangue” muito unida e muito divertida.

A Mica sempre estava sorrindo, nunca tinha “crises” ou mal humor que durasse muito tempo. Ela era muito faladeira e engraçada. Estava sempre pronta para ouvir as amigas e sempre topava tudo que inventávamos!

Uma vez fomos fazer uma aula experimental de hidroginástica porque a gente resolveu ser “fitness”, rs! Mas chegando lá era uma aula para a terceira idade! As vovós eram tão fofas e nos divertimos tanto que acabamos nos matriculando e frequentando as aulas, rsrsrs!

Após a formatura nós nunca perdemos o contato! Acabamos indo trabalhar na mesma área então sempre trocávamos experiencias e nos encontrávamos nos eventos.

Fiquei tão feliz quando conheci o “moço” do prédio dela que ela estava namorando porque achei que o casal era perfeito junto.

Quando você e Enrico nasceram, nós duas paramos de trabalhar e a gente pode se encontrar mais, quando levávamos vocês para passear.

Eu era daquelas mães toda atrapalhadas e a Mica sempre super organizada, com seus lanches orgânicos! Eu falava que ela tinha nascido para ser mãe mesmo.

No final de 2016 eu já tinha voltado a trabalhar e chamei a Mica pra trabalhar comigo após o réveillon. Finalmente nossos filhos iriam estudar na mesma escola e a gente estava torcendo para eles caírem na mesma classe. Mas foi quando tudo virou de cabeça pra baixo! Eu fiquei muito preocupada mas ela mesma me tranquilizava e ver a sua alegria durante todo o tratamento me acalmava o coração.

A gente se via na entrada ou na saída da escola e ela nunca deixava de sorrir e de dizer que estava bem

E hoje fez um ano sem você aqui!

Mal sabia eu tudo o que eu iria passar durante este ano! Mal sabia eu como seria importante tudo o que ela me ensinou, tudo o que ela foi nessa vida.

Dois meses depois da despedida, descobri que era minha vez de lutar contra um câncer.

Ela foi a minha inspiração para não deixar de lutar, de sorrir e de acreditar.  Mesmo perdendo os cabelos, mesmo com todas as dores, com todos os medos e com tantas batalhas pela frente… eu sabia que não deixaria de ser eu! Como ela nunca deixou de ser! Não me permiti ficar deprimida ou com pena de mim mesma. Passei por todas as etapas do tratamento, mas continuei vivendo!

E a vida ficou melhor! Mais leve! Mais simples! Hoje eu aproveito cada momento aqui, cada dia que passa, cada abraço, cada música!

Porque afinal… como ela me ensinou …. a vida é breve!

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, COO da SmartMoney Ventures, investidora em startups em estágio inicial, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, co-fundador da Escola de Pai - espaço para a redescoberta da masculinidade e paternidade, membro do projeto Luto do Homem e voluntário na Fundação Elisabeth Kubler-Ross.

Categorias

Sua assinatura não pôde ser validada.
Você fez sua assinatura com sucesso.

Newsletter

Assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado.

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Posts Relacionados