Continuo com dificuldades para organizar a alimentação da casa. Todo o processo – desde a elaboração do cardápio, compras e cozinhar de fato – toma muito tempo.

Notei que, ao incluir as crianças no processo, o resultado é sempre melhor, eles comem bem. Mas tem que ser antes mesmo que os alimentos cheguem até a cozinha de casa. Organizar uma lista de compras, ir à feira de orgânicos no sábado, ao mercado, escolher os alimentos incluindo aprender a selecionar frutas e legumes e a controlar a quantidade, trazê-los para casa, lavar o que for preciso, temperar, cozinhar, seguir uma receita, enfim, em todas as situações.

Esses momentos são permeados por conversas sobre a alimentação, o que vamos fazer ou sobre qualquer assunto da nossa rotina. Nesta hora, vamos descobrindo nossas preferências, nos aproximando e estreitando vínculos.

Hoje, foi mais um dia desses, saímos cedo e tomamos café na padaria. Como iríamos viajar, precisávamos comprar poucas coisas, tínhamos tempo e podíamos fazer tudo com calma. Então, decidimos o cardápio juntos, fomos ao mercado, a Maria Clara escolheu o arroz e a salada, já o Francisco, a carninha e o suco de laranja. Também escolhemos a fruta para o lanchinho da tarde. Enquanto fazíamos as compras, falamos sobre a viagem e sobre o fato de ainda ter que terminar de arrumar as malas.

Chegamos em casa, guardamos cada coisa no seu lugar. A Maria Clara havia escolhido um arroz especial, que levaria meia hora para cozinhar, calculamos o tempo, temperamos a carne e lavamos a salada.

Decidi fazer o mesmo caldo que, geralmente, fazia para os risotos. Talvez a única coisa que faço bem na cozinha. Enquanto o caldo cozinhava, o cheiro invadia a casa trazendo com ele as lembranças de dias em que eu ficava responsável pelo jantar, especificamente pelo risoto que a Mi gostava. Eu até podia fazer outra receita de risoto para mim, mas para ela tinha de ser o “Risoto de Parma, Tomatinhos, Manjericão e Azeitonas”.

Eram sempre dias especiais, como o dia de hoje, como deveria ser todo dia.

Me recordo que, ao finalizar o risoto, quase como um ritual, eu sempre a chamava para provar, perguntava se estava na consistência que ela gostava, a consistência ok, mas o sal…

Caldo pronto, casa perfumada, preparei a salada, coloquei o arroz para cozinhar e comecei a preparar a carne. Enquanto isso, Maria ajudava a arrumar a mesa sob a supervisão do Francisco. Em seguida eles assistiram um desenho enquanto eu finalizava o almoço.

O arroz estava quase pronto. Faltava uma coisa…

Chamei a Maria Clara e Francisco. Pedi para provarem o arroz e ver se estava do jeito que gostam. Francisco provou primeiro, fez um sinal de positivo e voltou correndo para a sala. Maria cheirou, provou com calma e disse:

“Só mais uma pitada de sal”.

 

Quer fazer o mesmo risoto? Segue a receita:

CALDO (Mirepoix)

50% cebola
25% cenoura
25% salsão
+ talos de salsão, folhas de alho poró, talos de salsinha…

RISOTO DE PARMA, TOMATINHOS CEREJA, MANJERICÃO E AZEITONAS CHILENAS.

RISOTO
100 ml de azeite extra virgem
30 g de cebola picada
200 g de arroz arbóreo
200 ml de vinho branco seco
1 litro de caldo de legumes

FINALIZAÇÃO
100 g de Presunto Parma fatiado
50 g de tomate cereja
50 g de manteiga
20 g azeitonas chilenas (4 unidades)
8 folhas de manjericão italiano
sal a gosto

Modo de Preparo

  • Em uma panela, adicione o azeite, a cebola, refogue um pouco e acrescente o arroz envolvendo no azeite e na cebola.
  • Acrescente o vinho, mexendo até que o vinho quase seque, adicione o caldo de legumes, o presunto fatiado e continue mexendo.
  • Para finalizar o risoto, adicione mais caldo, sal, parmesão, manteiga, tomates, manjericão e as azeitonas.

Compartilhe

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, coautor do livro "Luto por perdas não legitimadas na atualidade", voluntário na Casa Paliativa, membro do projeto Luto do Homem.

Categorias

Mec

Posts Relacionados

3 Comments

  1. ANA CAROLINA RUIZ março 19, 2020 at 3:30 pm

    É impossível não me emocionar com a leveza e a doçura de cada texto seu.
    Entendo que deve ser muito complicado seguir com cada tarefa junto a eles, mas o ganho e a cumplicidade, sempre e sempre será maior.
    Sou sua eterna admiradora.
    Gratidão pela receita afinal, ler sobre risoto deu uma imensa vontade…
    Abraço!

  2. Regina Prado Zanes março 19, 2020 at 11:29 pm

    Lindo…

  3. Chris Reghine março 20, 2020 at 6:28 am

    A felicidade está nesses momentos simples e gostosos em família! Vão ficar guardados nas memórias das crianças! E vão dar valor a todos eles! Beijos

Comments are closed.