Maria e Francisco,

Mamãe costumava dizer que Deus havia colocado em nosso caminho Anjos da Guarda para nos ajudar e é sobre eles que quero falar novamente.

Confesso que neste caso, descobrir o segredo deste anjo da guarda na vida da mamãe foi mais difícil. Usando de uma tática nem um pouco comum, a tia Elisângela, como vocês a conhecem, foi se aproximando aos poucos.

A amizade entre Maria e Marina foi a ponte entre a amizade da mamãe e tia Elisangela. Mas com o passar do tempo os laços entre elas foram se estreitando, as afinidades e de alguma maneira elas haviam construído a própria ponte e concretizado os próprios laços.

Quando percebi já eram amigas e me recordo em uma das conversas da mamãe perguntar: “Mas quem é essa tal de Elisangela?” e sua mãe responder “É a mãe da Marina”.  Agora sim, a Marina eu já conhecia. Afinal, Maria não parava de falar em casa que Marina era a sua melhor amiga. E como vocês sabem a Marina é daquelas crianças especiais e, conhecendo a Marina, fica mais fácil entender e mais difícil para a tia Elisangela, que insiste em usar o disfarce de pessoa comum, esconder a sua verdadeira identidade.

Juro que tentei mas não consegui descrever o quanto a tia Elisangela foi importante para a mamãe. O amor, carinho que passa pelos detalhes, nas pequenas coisas e nesta relação são muito particulares.

A mamãe sempre foi muito mais esperta que o papai e logo de cara ficou amiga da tia Elisangela para, em seguida, construir uma nova ponte entre o papai e a família.

Hoje conhecemos a família toda. Sim, são anjos da guarda disfarçados que andam em bando, pois ainda tem o tio Ricardo e a doce Manu. É mais ou menos como o desenho “Os Incríveis”, em que existe uma família incrível, lembram? Portanto, fiquem atentos para perceber que eles estão ao nosso redor!