Querido filho Francisco,

Me recordo de quando eu e a mamãe começamos a conversar sobre filhos. Sempre manifestei o desejo de ter um filho chamado Francisco, influenciado por duas personalidades históricas: Francisco de Assis e Francisco Cândido Xavier.

Nosso acordo dizia que, quando tivéssemos filhos, mamãe teria a palavra final sobre a escolha do nome se fosse menina e eu escolheria o nome do nosso menino. Na prática não era bem assim, não havia imposição e era mais uma brincadeira entre nós.

Sua irmã Maria iria completar 4 anos quando eu e a mamãe começamos a conversar sobre a possibilidade de ter um segundo filho.

Quando descobrimos que a mamãe ficou grávida, tive a certeza de que seria um menino.

Com o decorrer da gestação, chegamos a pensar em lhe dar o nome de Antônio. Seria uma homenagem para os seus avós, pois ambos tem este nome.

E ficamos entre Antonio e Francisco. Logo após o ultrassom para descobrir o sexo, saímos eufóricos do médico e, no corredor da clínica, resolvi gravar um vídeo da sua irmã contando a notícia para seus avós. Ao final do vídeo perguntei para a sua irmã como você iria se chamar, dando as duas alternativas, e foi ela que escolheu o seu nome:

Recado para o Vovô e para a Vovó: “É um menino e vai se chamar…”

E agora tenho um Francisco para chamar de meu.

Foto: Juliana Frug

Compartilhe

About the Author: Rafael Stein

Rafael Stein é pai da Maria Clara e do Francisco, autor do cartasparamaria.com.br no qual escreve cartas e bilhetes para que seus filhos leiam no futuro, coautor do livro "Luto por perdas não legitimadas na atualidade", voluntário na Casa Paliativa, membro do projeto Luto do Homem.

Categorias

Mec

Posts Relacionados

3 Comments

  1. Katia fevereiro 14, 2019 at 6:27 pm

    Uau! Que lindinha!
    Vc me faz chorar sempre com seus textos lindos!
    Seu Francisco é muito fofo!
    Que Deus ilumine vcs!

  2. Ana Carolina Ruiz fevereiro 14, 2019 at 8:56 pm

    Quanta fofura!
    Amei, amei, amei!

Comments are closed.