Ao imaginar os momentos que iríamos a compartilhar – somente nós três – o evento que mais me preocupava era justamente a sua apresentação de balé, por tudo que representava para a mamãe. Mas me enganei achando que passaria ileso pelo Natal.

Foi muito difícil me ver em família e sozinho com vocês. Questões práticas e simples tornaram-se complicadas e agora precisam de planejamento para que aconteçam. A vida não para esperando que nos adaptemos à nossa nova realidade, ela simplesmente segue e temos que trocar o pneu com o carro andando.

Sobre o Natal é importante ressaltar que o papai é avesso as comemorações e, neste ponto, eu sempre fui muito diferente da mamãe que sempre fazia questão de comemorar tudo.

Não faço questão de comemorar aniversário, por exemplo, e chego a me esconder das pessoas, como se isso fosse possível. Por muito tempo essas comemorações em família perderam o sentido, pelo menos para mim, e passei a evitar por alguns anos retomando após conhecer a mamãe. Com a ajuda delae depois da sua chegada e a do Francisco passei a aceitar o fato de termos que comemorar. Especialmente o Natal em família, que voltou a ter a figura do Papai Noel, e tudo passou a ficar mais divertido por causa de você e do seu irmão.

Depois da partida da mamãe voltei a questionar o que representa o Natal.

Qual o real significado do Natal?

Não é para dar presentes, não é para pensar na comilança toda. Isso é festa.

Para quem é cristão, o Natal simboliza o nascimento de Jesus. Essa noite é para celebrar o que este homem ensinou.  Um homem que falou de amor, que faloude cura e cuidado. Que entregou a sua vida para que os outros seres possam ser salvos e se beneficiem. Não é uma festa só de presentes, de consumo, não é só uma festa de família. É noite de celebrar a vida com amor. Independente se você é cristão ou não, a celebração traz em seu simbolismo o amor, a ternura, ocuidado e querer bem. É gostar de querer bem e de fazer o bem.

Um novo Natal

A população ocidental vem se lembrando que este homem importante nasceu e quem era ele, seus ensinamentos, a mensagem mais importante e comovivemos isso em nossas vidas. Esta é a verdadeira homenagem: como nós vivemos o que este homem nos ensinou. O resto é fazer festa e encontrar a família.

Estou decidido a seguir adiante a vida de um jeito diferente, por outro caminho, pois, como aprendi com a mamãe, a a vida é breve e precisa de valor, sentido e significado.

Então desejo que no próximo ano possamos entender o verdadeiro espírito de Natal, que viemos para este mundo sem nada e vamos embora sem nada. Então deixaremos alguma coisa boa, assim como fez a mamãe.

Eu sei que dar presente é bom, mas o melhor mesmo é ser presente, amigo, parceiro, o abraço mais quente e permitir que nossos olhos não enxerguem só a gente.

Que possamos fazer uma reflexão, independente de crença, fé ou religião, praticando o bem sem parar, pois não adianta orar sem existir ação.

Nossa parte é ajudar, e o mundo pode mudar, cada um fazendo a sua… Abrace um desconhecido, perdoe quem lhe feriu, se esforce pra reerguer um amigo que caiu e tente dar esperança para alguém que desistiu.

Convença quem está triste que vale a pena sorrir, aconselhe quem parou que ainda dá para seguir e, para aquele que errou, dá tempo de corrigir.

Faça o bem por qualquer um, sem perguntar o por que. Parece fora de moda, soa meio que clichê, mas quando se ajuda alguém o ajudado é você.

Que possamos ser bons começando em janeiro, e que esse sentimento seja firme e verdadeiro, que a gente viva o Natal todo ano, o ano inteiro.

* Trechos deste texto foram inspirados e adaptados do cordel de natal escrito cujo autor é Bráulio Bessa. Para mais informações sobre o poeta e ler o cordel acesse: http://bit.ly/2CGVS2B